Condutas Típicas

  • Imagens da Aula
  • +
  • +
  • Curso

Captura de tela em 2014-05-13 09:34:01

Captura de tela em 2014-05-13 09:34:12

Captura de tela em 2014-05-13 09:34:37

Esta Aula pertence ao Curso de Educação Especial – Condutas Típicas oferecido pela Ensino Nacional

certificado2

O QUE SÃO CONDUTAS TÍPICAS
• São Condutas Típicas as síndromes, os quadros psiquiátricos, as disfunções neurológicas e os distúrbios comportamentais.
O Ministério da Educação e Cultura (MEC) define Condutas Típicas como:
“manifestações comportamentais típicas de portadores de síndromes e quadros psicológicos, neurológicos ou psiquiátricos que ocasionam atrasos no desenvolvimento da pessoa e prejuízos no relacionamento social, em grau que requeira atendimento educacional especializado”.
• O Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais IV (DSM IV), descreve os distúrbios de conduta como “padrões persistentes e repetitivos de comportamento humano que violam os direitos de outros, atuando por um período de seis meses, contra as normas apropriadas para a idade ou regras sociais”.
• São alunos que apresentam comportamentos inadequados e inconvenientes, causando danos a si mesmos e aos outros.
Obs: Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais: O Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders – DSM) é um manual para profissionais da área da saúde mental. Ele lista diferentes categorias de transtornos mentais e critérios para diagnosticá-los, de acordo com a Associação Americana de Psiquiatria.
• Podem ainda apresentar dificuldades de aprendizagem.
• Este termo “condutas típicas” foi proposto para se evitar outros rótulos, utilizados anteriormente, que carregavam em seu significado uma carga de julgamento e desqualificação da pessoa a quem eram atribuídos.
• Entre eles, pode-se citar: transtornos de conduta, distúrbios de comportamento, comportamentos disruptivos, desajuste social, distúrbios emocionais, etc.
• Esses comportamentos podem causar dificuldades de adaptação escolar, e tendem a prejudicar as relações do aluno com seu professor e/ou colegas, com os materiais de uso coletivo e também no processo ensino-aprendizagem.
• São atitudes que se manifestam num contínuo, desde inquietude até comportamentos estranhos, que permanecem por um tempo prolongado (acima de seis meses) e que podem ser identificadores de Condutas Típicas.
• O termo se refere a uma variedade muito grande de comportamentos, o que dificulta o alcance de consenso em torno de uma só definição.
• Dessa maneira, encontra-se na literatura diferentes definições e diferentes tipos de classificação para estes comportamentos.
• Há crianças que possuem padrão de comportamentos voltados para si próprias, como: fobias, automutilação, timidez, recusa em verbalizar, recusa em manter contato visual, etc.
• Há aquelas que apresentam comportamentos voltados para o ambiente exterior: agredir, roubar, faltar com a verdade, gritar, locomover-se o tempo todo, etc.
• Os comportamentos podem ser mais ou menos severos, dependendo de algumas variáveis como: frequência, intensidade e duração.

DICAS PARA LIDAR
Veja algumas dicas para lidar com uma criança que apresentam Condutas Típicas:
Calma:
• Para se relacionar com uma criança com as características de Condutas Típicas, procure se manter calmo e sereno, controlando a ansiedade ao se relacionar com a criança.
Diálogo:
• Não se deixe levar pelas chantagens emocionais, e não ceda a acessos de raiva.
• Espere passar para iniciar um diálogo.
Confiança:
• Não seja crítico com a criança e demonstre confiança e amizade.
• Dê apoio e ofereça opções para a resolução do problema que se apresenta.

CAUSAS
Não há um consenso quanto às causas das Condutas Típicas.
1 → Causas:
É considerado hoje que se trata de um conjunto de fatores: natureza biológica, psicológica, comportamental, e social.

2 → Fatores Biológicos:
Herança genética, anormalidades bioquímicas, anormalidades neurológicas, lesões no sistema nervoso central, etc.
3 → Fatores Psicológicos:
Processos psicológicos, funcionamento mental, predisposições herdadas, experiências traumáticas na primeira infância, etc.
4 → Fatores Comportamentais:
Eventos ambientais como falha na aprendizagem de comportamentos adaptativos, aprendizagem de comportamentos não adaptativos e o desenvolvimento de comportamentos não adaptativos por circunstâncias ambientais estressantes.
5 → Fatores Sociais:
Transmissão cultural, desorganização social, comunicação distorcida, associação diferencial e interações negativas com outras pessoas, etc.

TIPOS MAIS COMUNS DE CONDUTAS TÍPICAS
As Condutas Típicas mais comumente encontradas são:

Distúrbios da atenção
Dificuldade em atender a estímulos relevantes de uma situação: olhar para a professora durante uma explicação, por exemplo.
A criança com distúrbio de atenção movimenta a cabeça o tempo todo, voltando-se e respondendo a qualquer estímulo presente que esteja concorrendo com o estímulo relevante.
Pode atender aos estímulos relevantes, mas não consegue manter a atenção a eles pelo tempo requerido pela atividade.
São alunos que apresentam dificuldade em se concentrar na execução de qualquer atividade.
Impulsividade
Crianças impulsivas dão respostas instantâneas, sem reflexão, análise e decisão prévias.
Geralmente a impulsividade e a hiperatividade estão juntas em um mesmo padrão de comportamento.
Não conseguem esperar pela sua vez em filas de espera ou mesmo para brincar.
Também não esperam pelo fim da pergunta para darem uma resposta.
Hiperatividade
A pessoa com esta característica apresenta uma inabilidade para controlar seu comportamento motor de acordo com as exigências nas diversas situações.
Apresenta uma constante mobilidade e agitação motora, o que se torna um empecilho para seu envolvimento em determinada ação ou tarefa.
Hiperatividade verbal e física
O aluno que apresenta hiperatividade verbal fala em voz alta constantemente, faz comentários irrelevantes, discute provocativamente com professores e colegas numa frequência elevada.
Neste caso o professor deve estabelecer com os alunos as regras de participação verbal na aula.
Em casos de hiperatividade física o professor deve estabelecer regras sobre a forma desejável de comportamento.
O professor pode também antecipar a movimentação do aluno e se encaminhar para perto dele quando notar que está prestes a sair de sua carteira.
Alheamento
É um comportamento quando a criança se recusa a manter contato com outras crianças e se distancia delas.
A criança se esquiva ao contato externo.
Evitam contato com qualquer aspecto do ambiente sociocultural em que estão inseridas.
Em uma manifestação mais leve dessa conduta, as crianças não iniciam contato verbal, não respondem quando solicitadas, não brincam com outras crianças e demonstram falta de interesse pelo que acontece no ambiente.
Em manifestações mais severas, as crianças não fazem contato com a realidade, e parecem desenvolver um mundo somente delas, fora da realidade.
Agressividade
Pode ser uma agressão física ou verbal dirigida a si próprio, a outra pessoa ou a objetos.
Esse comportamento inclui: gritar, xingar, usar linguagem abusiva, ameaçar, beliscar, bater nos colegas, puxar cabelo, fazer declarações autodestrutivas, etc.
Esse comportamento passa a ser conduta típica quando sua intensidade, duração e frequência excedem o eventual, focal e passageiro.

IDENTIFICAR CONDUTAS TÍPICAS
Atenção: consulte um especialista para fazer um diagnóstico!
Essas características podem aparecer combinadas ou separadas.
Deve-se observar a intensidade, frequência e duração do comportamento para se considerar Conduta Típica.

No bebê:
se mostra irritável intensivamente e/ou muito apático; é indiferente à presença ou ausência da mãe; não sorri e não faz contato visual com outras pessoas; ausência de afetividade; não estica os braços para ser pego no colo; indiferente à brinquedos; hipersensível à sons; é indiferente a sua imagem refletida no espelho; entre outros.
Na infância:
com frequência fala em demasia; tem dificuldade em brincar ou em se envolver silenciosamente em atividades; apresenta comportamentos repetitivos; se irrita quando sai da rotina; autoestima rebaixada; parece não ouvir em determinadas situações; dificuldade em organização pessoal e em tarefas diárias; falta discernimento entre a realidade e a fantasia.
Veja outros exemplos de comportamentos que podem indicar Condutas Típicas:
prática de pequenos furtos, grita (não fala), fala sozinho, autoagressão e/ou agressão com outros, recusa em seguir regras e normas, desatenção, medos excessivos, movimentos contínuos e repetitivos, fala desconexa, birras constantes, comportamento de desafio ou de oposição, choro/riso imotivados, timidez excessiva, etc.

EXEMPLOS DE CONDUTAS TÍPICAS
Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH):
É um transtorno neurobiológico de causas genéticas, que aparece na infância e frequentemente acompanha o indivíduo por toda sua vida.
Suas características são: sintomas de desatenção, inquietude (agitação) e impulsividade.

Para apresentar o transtorno de hiperatividade, uma pessoa deve ter a maioria dos seguintes sintomas ocorrendo constantemente:
• com frequência agita as mãos ou pés e se remexe na cadeira;
• abandona sua cadeira na sala de aula ou em situações em que se espera que permaneça sentado;
• nos adolescentes e adultos a pessoa passa uma sensação de constante inquietação;
• tem dificuldade para brincar silenciosamente;
• frequentemente fala em demasia;
• tem dificuldade em aguardar sua vez, dá respostas precipitadas antes de as perguntas terem sido completadas.
Obs: O TDAH possui um grande impacto na vida da criança e das pessoas com que convive e pode levar a um baixo desempenho escolar. De acordo com a Associação Brasileira de Déficit de Atenção (ABDA), cerca de 3 a 5% das crianças brasileiras sofrem de TDAH. Dessas, de 60 a 85% permanecem com o transtorno na adolescência.
Distúrbios de Déficit de Atenção:
Quando a pessoa apresenta desatenção a ponto de ser considerado como transtorno, tem a maioria dos seguintes sintomas que ocorrem a maior parte do tempo em suas atividades:
• deixa frequentemente de prestar atenção a detalhes ou comete erros por descuido em atividades escolares, de trabalho ou outras;
• tem dificuldade para manter a atenção em tarefas ou atividades recreativas;
• com frequência não termina seus deveres escolares ou profissionais e tarefas domésticas;
• tem dificuldade na organização de suas atividades;
• evita ou reluta em se envolver em tarefas que exigem esforço mental constante (deveres de casa);
• frequentemente perde coisas necessárias para tarefas ou atividades;
• apresenta frequente esquecimento em atividades diárias.

TDAH
Veja como o TDAH pode afetar a criança na escola.

PROFESSOR DE EDUCAÇÃO ESPECIAL
• Nenhuma criança com Condutas Típicas é igual à outra.
• Cada um possui particularidades e especificidades inerentes a cada caso.
• A relação professor/aluno deve se basear nas características individuais dos alunos e no conhecimento que se tem sobre as Condutas Típicas.
• O educador comprometido com a inclusão de seus alunos precisa estar vinculado aos valores éticos, com sólida formação acadêmica e teórica, com postura observadora e questionadora.
• O professor deve trabalhar em conjunto com a família, que possui o poder de decidir ou não por uma intervenção ou tratamento.
• O professor deve planejar, implantar e avaliar programas, planos e projetos de atendimento individual especializado, e incentivar a participação da comunidade escolar no processo de aprendizagem.
Obs: Apoio Pedagógico: Em alguns casos pode ser necessário um apoio pedagógico especializado, com a atuação colaborativa de professor especializado em educação especial. Além disso, podem ser disponibilizados outros apoios necessários à aprendizagem, locomoção e comunicação.

Dicas
Veja algumas dicas e ideias para o professor:
• Nas salas de aula, a regra principal deve ser o respeito ao outro;
• Os professores devem desenvolver a capacidade de observação de modo a perceber com clareza os indicadores de comportamentos inadequados;
• O ambiente precisa ser estruturado para envolver e motivar os alunos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *