Introdução à Cartografia

  • Imagens da Aula
  • +
  • +
  • Curso

Captura de tela em 2014-06-16 11:13:20

Captura de tela em 2014-06-16 11:13:59

Captura de tela em 2014-06-16 11:17:33

Esta Aula pertence ao Curso de Introdução a Cartografia oferecido pela Ensino Nacional

certificado2

O QUE É CARTOGRAFIA
• É uma ciência que trata dos estudos e operações científicas, técnicas e artísticas relacionadas à elaboração e utilização de cartas (ou mapas), de acordo com determinada escola e sistema de projeção.
• Trata da concepção, produção, difusão, utilização e estudo dos mapas.
• Foi em 1839 a primeira vez que a palavra cartografia foi registrada, em uma correspondência do Visconde de Santarém para o historiador brasileiro Francisco Adolfo Varnhagem, indicando a ideia de um traçado de mapas e cartas.
• Uma das mais completas definições para a Cartografia foi elaborada em 1964, durante o Congresso Internacional de Geografia, organizado pela Associação Cartográfica Internacional:
“conjunto de estudos e operações científicas, artísticas e técnicas, baseado nos resultados de observações diretas ou de análise de documentação, com vistas à elaboração e preparação de cartas, projetos e outras formas de expressão, assim como a sua utilização”.
• Os mapas estão entre as mais antigas formas de representação gráfica da humanidade.
• Com o tempo foram se aperfeiçoando os conhecimentos de geometria, astronomia, tecnologias de mediação de terras.
• Os mapas eram importantes para agricultura, transporte, conquista e defesa de territórios, entre outros.
Obs: Os mapas foram a primeira forma de expressão dos homens. Eles surgiram antes mesmo da escrita.

HISTÓRIA E EVOLUÇÃO

• Pode-se dizer que o primeiro mapa da história foi feito pelos Sumérios em uma tábua redonda de argila, na região da Mesopotâmia (atual Iraque), por volta de 2300 a.C.
• Era uma representação de um rio (possivelmente o rio Eufrates), circundando montanhas.
• Já no Egito, foram encontrados outros registros, datados de 1000 a.C, de desenhos representando paisagens locais, trilhas e rios.
• Essa representação é considerada como o primeiro mapa-múndi da história, por representar o mundo na concepção de seus autores, mesmo que a terra seja bem diferente disso.
• As primeiras tentativas de se estabelecer métodos para a confecção de mapas surgiram na Grécia, por volta de 500 a.C, com Hecateu de Mileto, que produziu um livro onde a terra estava representada como um disco com a Grécia no centro.
• Este foi considerado o primeiro livro de geografia da história.
• Mais tarde, Claudius Ptolomeu, publicou um tratado sobre geografia composto por oito volumes, e entrou na história por conter uma nova representação do mundo com regras para representá-lo na forma estética mais próxima dos usados atualmente.
• A partir do século XII se iniciou a produção de mapas que incluíam regiões maiores do globo, através do relato de viajantes e navegadores, apesar dos erros e exageros dos relatores.
• A partir do século XV, no final da Idade Média, o conhecimento acerca da cartografia voltou à tona na época das Grandes Navegações, no início da Idade Moderna.
• A descoberta do continente americano trouxe novo fôlego para a cartografia, iniciando-se os trabalhos para mapear o novo continente.
• Nessa época o holandês Gerard Mercator desenvolveu um mapa-múndi que levaria seu nome e representava grandes rotas em linhas retas.
• Foi a partir do século XVII que se passou a se preocupar mais com o rigor científico dos mapas.
• E a partir da segunda metade do século XVIII o mundo foi conhecido com as devidas coordenadas de suas feições.
• A cartografia está passando por uma profunda e longa revolução, iniciada em meados do século XX.
• A fotografia aérea e a detecção remota, juntamente com o avanço tecnológico nos métodos de gravação e impressão, e o aparecimento dos computadores, alteraram a forma como os dados geográficos são adquiridos, processados e representados, bem como o modo de serem interpretados e explorados.
• São usados atualmente fotos aéreas e de satélites para a realização de mapas e cartas que são cada vez mais utilizados eletronicamente, o que dispensa a necessidade de impressão e os torna interativos.
• Os mapas digitais com acesso a grandes bancos de dados formam os Sistemas de Informações Geográficas (SIG).
• Algumas descobertas e ideias de pensadores, cientistas e inventores ajudaram ainda no desenvolvimento de conceitos ligados à cartografia.
• Um exemplo foi Copérnico, que revolucionou a concepção do universo ao confrontar o geocentrismo com sua teoria heliocêntrica, ou seja, que não seria a Terra, mas o Sol a ser o centro do universo.
Obs: Outros exemplos – Há ainda Eratóstenes, o primeiro a calcular o raio da Terra, em 240 a. C. Fernão de Magalhães foi um navegador português que também contribuiu para a consolidação da cartografia. Ele foi o primeiro a circum-navegar o globo.

ÁREA DE TRABALHO
Veja como é a Área de Trabalho para o profissional que trabalha com Cartografia.
Engenharia:
Para trabalhar com cartografia, o profissional precisa fazer o curso superior em Engenharia Cartográfica.
O engenheiro cartógrafo é o profissional que trabalha com levantamento e interpretação dos dados geográficos através de mapas, cartas, plantas.

Mapeamento:
Ele atua no mapeamento de áreas a serem construídas e na identificação de locais e reservas ambientais. Delimita áreas urbanas e contribui para o uso de outras especificações, como o GPS em automóveis.

Atividades Básicas:
As atividades básicas são: executar serviços de engenharia em atividades relacionadas a estudos, e projetos referentes à topografia, geodésia, batimetria, cadastros, locação, aerofotogrametria, sensoriamento remoto e mapeamento temático aplicados a projetos e obras de transmissão.
Obs: Geodésia é a ciência que estuda a forma e a dimensão da Terra e o campo de gravidade e suas variações temporais.

RAMOS DA CARTOGRAFIA
Temático:
• Trata de temas ligados às diversas áreas do conhecimento.
• Os produtos gerados são documentos cartográficos em qualquer escala, onde são representados sobre um fundo geográfico básico fenômenos geográficos, geológicos, demográficos, econômicos, agrícolas, etc.
• Visam o estudo, análise e pesquisa dos temas no seu aspecto espacial.

Topográfico:
• Trata os detalhamentos planialtimétricos, que incluem aspectos naturais e artificiais de uma área tomada de uma superfície planetária.
• Isso possibilita a determinação de altitudes através de curvas de nível, a avaliação precisa de direções e distâncias, e a localização de detalhes, com grau de precisão compatível com a escala.

DOCUMENTOS CARTOGRÁFICOS
• São documentos que contêm representações gráficas da superfície terrestre ou de corpos celestes e desenhos técnicos.
• Veja alguns exemplos de documentos cartográficos: mapas, carta, planta, fotografia aérea, globo terrestre, planisfério (mapa-múndi), maquete, atlas, croqui.
• O objetivo da cartografia é a geração da representação gráfica de informações geográficas através de um meio de comunicação entre o que a gerou e o usuário.

Mapa:
• É usado para representar elementos maiores, como uma região de um país.
• Nenhum mapa impresso consegue mostrar todos os aspectos de uma região.
• Os mapas mais comuns são os políticos e topográficos.
• Os políticos representam os continentes e fronteiras entre países.
• Já os topográficos representam o relevo em níveis de altura.
• Um mapa precisa ter cinco elementos principais, que vão garantir a leitura e interpretação precisa das informações do mapa.
• São eles: título (informação dos fenômenos apresentados), legenda (significado dos símbolos usados, também chamado de convenções cartográficas), escala (permite calcular distâncias no terreno a partir de medidas na representação), coordenadas geográficas (localização) e orientação (indicação do norte).
• Em resumo, mapa é a representação no plano de aspectos geográficos, naturais, culturais e artificiais de uma área, geralmente em escala pequena.
Obs: Os mapas, por possuírem representação plana, não representam fielmente a forma geoide da Terra. Isso levou os cartógrafos a usar globos para imitar essa forma.

Carta:
• É uma representação plana com uma finalidade especial e possui maior precisão.
• Feita em escala média ou grande, é a representação sobre um plano dos acidentes naturais e artificiais da superfície terrestre de forma mensurável, mostrando suas posições planimétricas e altimétricas.
• É o documento que representa, de forma sistemática, a superfície terrestre por meio de projeções cartográficas.
• As cartas topográficas não são mapas, apesar da semelhança.
• Enquanto que no mapa os limites são físicos ou políticos, os limites de uma carta topográfica são matemáticos, geralmente meridianos e paralelos.
• Os acidentes naturais e artificiais são geometricamente bem representados.
• Pode-se dizer que a carta é a representação no plano, em escala média ou grande, dos aspectos de uma área tomada de uma superfície planetária, com a finalidade de possibilitar a avaliação de pormenores, com grau de precisão compatível com a escala.
• Ex: cartas topográficas, náuticas e aeronáuticas.

Planta:
• É um documento que exprime uma área restrita, como cidades, casas ou jardins.
• Nesse caso o número de detalhes é bem maior.
• Utiliza escalas pequenas e é usada para representar elementos artificiais, como uma casa, por exemplo.

Croqui:
• É um esboço, em breves traços, de desenho ou pintura.
• Não obedece a rotina técnica para a elaboração de mapas.
• Sua finalidade não é a divulgação para o público.
• Contém informações sobre uma pequena área e supre a falta de uma representação cartográfica mais detalhada.

TIPOS DE MAPAS
Os mapas representam o que o autor deseja demonstrar.
Eles podem ser divididos em vários tipos e sua classificação varia com o tema tratado.
Veja algumas classificações:

1 → Mapas políticos:
• Apresentam municípios, estados, países, seus limites, capitais e cidades importantes.

2 → Mapas físicos:
• Representam a superfície física da Terra e mostram um ou vários elementos naturais, como rios, formas de relevo, diferentes altitudes, tipos de clima, etc.

3 → Mapas econômicos:
• Representam as atividades produtivas e financeiras, assim como dados socioeconômicos.
• Mostram a produção do espaço econômico, ou seja, as atividades econômicas de uma determinada área, seja num continente, país, estado ou município, como tipos de indústrias, índice de População Economicamente Ativa (PEA), etc.

4 → Mapas demográficos:
• São também chamados de mapas de população.
• São a representação espacial das populações, como taxas de analfabetismo, migrações, índices populacionais, etc.

5 → Mapas históricos:
• São mapas antigos, com uma aparência envelhecida.
• São usados para descobrir como as pessoas em outras épocas concebiam seu espaço.
• São chamados também de mapas históricos aqueles produzidos no momento atual, mas que representam acontecimentos no passado.

6 → Mapas estilizados ou de anamorfose:
• São mapas que se distorcem para representar as informações contidas neles, ou seja, não há uma representação fiel das proporções das diferentes áreas do espaço geográfico.
• Por exemplo, um mapa sobre as maiores economias do mundo irá deixar os países ricos maiores, e os pobres, menores.
• São usados para converter números ou estatísticas em mapas.

OUTRA CLASSIFICAÇÃO
Mapas Gerais:
Contém informações genéricas.
Os principais elementos representados nesse tipo de mapa são: divisão política, capitais, cidades de destaque, principais rodovias e ferrovias e algumas informações da parte física (rios, vegetação, etc).
Ex: plantas de cidades, mapas de países, etc.

Mapas Especiais:
Contém informações relacionadas a estudos específicos e técnicos que atendem a um número reduzido de pessoas, em geral técnicos (geógrafos, biólogos, meteorologistas, entre outros).
Ex: cartas aeronáuticas, mapas do tempo, etc.
Mapas Temáticos:
Construídos a partir de um mapa base, geralmente com informações políticas e hidrográficas.
A partir disso são cartografados os demais fenômenos geográficos. Podem ser aspectos geológicos, demográficos, cobertura vegetal, etc.
Ex: mapa geológico, mapas econômicos, etc.

CARTOGRAFIA NO ENSINO ESCOLAR
• O ensino de cartografia na escola oferece para os alunos bases para que eles possam conhecer e decifrar o espaço que habitam, e a locomoção nesse espaço.
• A criança vai adquirindo conhecimento ao longo do seu desenvolvimento educacional.
• O ensino pode se começar nas séries iniciais, onde o aluno pode aprender as bases do sistema de coordenadas.
• A partir disso a criança vai descobrindo seu mundo e as maneiras de reconhecer, representar e se locomover no mundo ao seu redor.
• O aluno pode então aprender a reproduzir seu mundo através de maquetes e desenhos.
• No ensino fundamental, os alunos podem continuar a aprimorar seus conhecimentos e conteúdos.
• Há pesquisas que mostram que o estudo da cartografia e o conhecimento do mapa nas séries iniciais uma mudança qualitativa na capacidade do aluno pensar e ver o espaço.
• A chamada alfabetização cartográfica é o objetivo básico das séries iniciais.
• Ela vai propor o desenvolvimento das noções de pontos, linhas, áreas, lateralidade, orientação, localização, referências e noções de espaço e tempo.
• O trabalho das bases da cartografia nas séries iniciais é importante para o desenvolvimento do processo de aprendizado nas séries seguintes.
• É nas séries iniciais que o aluno vai exercitar noções de lateralidade, proporção, redução e orientação espacial.
• Através dessa base o aluno poderá assimilar, nas séries seguintes, conceitos como escala, projeção e coordenadas geográficas.
• O aluno deve ser capaz não apenas de apontar localizações, ele deve dar significado ao que está sendo identificado no papel.
• E o ensino da cartografia desde as séries iniciais permite que os alunos possam ser capazes de analisar, interpretar, relacionar, correlacionar e sintetizar o meio em que vivem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *